DSC_0003

Primeiro post de 2015! #emoção

Pronto, pela primeira vez chegamos a uma cidade que não chama muita atenção – pelo menos a minha –, mas que teve sua parte significativa na viagem, Coquimbo.

Acho que Coquimbo foi a cidade mais pobre pela qual passamos. Os morros lembram muito as periferias e comunidades brasileiras. E foi a primeira vez na viagem que ouvimos: “é melhor não ir caminhando por aí…”. Em Valparaíso nos disseram para tomar cuidado, porém, com furtos e não assaltos à mão armada, nem nada tão agressivo. Mas em Coquimbo nos disseram para ficar atentos e não caminharmos sozinhos morro acima.

A grande atração da cidade de aproximadamente 163.000 habitantes, é a Cruz do Terceiro Milênio, a maior construção da igreja católica, que teve como objetivo aumentar o turismo religioso na cidade para ajudar na economia. A “pequena” #sqn cruz tem nada mais, nada menos do que 92m de altura e foi construída em cimento aparente. Para subir até a parte do cume, onde existe a visão panorâmica da cidade, pegamos um elevador que dá um baita de um medinho #confesso.

Olhem só o tamanhinho da criança:

 

DSC_0003

 

Depois de subir, com muito medo, chegamos à parte mais alta, acessível ao público. Deem uma olhada e percebam como as construções estão pequenininhas lá embaixo:

 

DSC_0033

 

O valor de entrada da cruz é de 2.500 PC por pessoa. Eu e meu namorado não somos muito religiosos, mas achamos que o passeio valia a pena e o valor de entrada também. Como a cruz fica na parte mais alta da cidade, tivemos de pegar um micro-ônibus para chegar até lá. Eu não me lembro o valor exato, mas sei que foi bem em conta.

Nossa próxima parada foi o navio pirata! #yohoapirateslifeforme

Dizem que piratas passavam por Coquimbo e enterravam os seus tesouros pelas praias de lá. Se isso é verdade ou não, nunca saberemos, mas que a cidade soube aproveitar essa “lenda”, isso soube! Ao chegar ao porto já é possível ver os dois principais navios e ingressar na jornada. Os valores começam com 7.000 PC por pessoa, mas choramos, choramos, choramos (estávamos pobres #risos) e conseguimos pelo valor de 3.000 PC cada um.

Eu achei que não entramos no navio mais bonito, mas era o que sairia primeiro. E lá fomos nós junto com o Jack Sparrow contando tudo sobre a história da cidade.

 

DSC_0060

 

A quantidade de pelicanos e leões marinhos durante o trajeto foi o mais bonito! Além, é claro, de um navio “fantasma” que está semiafundado há um tempão e tem um cachorro que cuida dele (sabe Deus como!) e também um forte.

 

DSC_0081

 

Não posso me esquecer da hora do almoço, que foi ótima. Fica a dica para comer peixe fresquinho no mercadão deles. O nosso estava uma delícia!

Bom, até a próxima! Chegamos em San Pedro de Atacama, sem dúvidas, A MELHOR PARTE DA VIAGEM.

Ah! Feliz 2015, springers!

Dai Bugatti.