body positive

Oi, springers! Tudo bem? Vamos começar a semana com um post para refletir? Admito que já quero falar sobre isso há um tempo aqui no ST, porque imagino que muitas vezes vocês também se sintam assim.

AMO entrar no Instagram e ver as fotos lindas que a galera posta por lá, mas têm dias que não me sinto bem e aquela felicidade exagerada, a imagem da vida perfeita e até aqueles corpos incríveis, sem nenhuma gordurinha e celulite me deixam na bad. Não é um recalque, mas é que a gente, sem querer, começa a se comparar dizendo “mas porque minha vida não é assim, tão perfeita?”. E aí vem aquela frustração, vontade de querer ser ou parecer com quem não somos… O que vira uma bola de neve e traz uma sensação péssima.

A prova viva de que não sou apenas eu que me sinto assim é a força que o movimento body positive vem ganhando na internet. Para quem não sabe, o body positive foi criado para que a gente enxergue o nosso corpo de maneira positiva, sem neuras, aceitando nosso biotipo, sem ter a necessidade de se comparar a ninguém ou mudar para estar dentro de um padrão de beleza.

Não estou dizendo que não seja saudável não gostar de algo no nosso corpo, até porque imagino que não exista uma pessoa que fique 100% satisfeita com a imagem (eu, por exemplo, não sou e ainda estou aprendendo a me aceitar melhor), mas é saber lidar com aquilo, se amar e não focar só naquela parte e se autodestruir por isso. Você é uma pessoa única do jeitinho que é, e todos nós temos defeitos e qualidades, mas o negócio aqui é amar o seu corpo como é, não ficar na neura de que precisa mudar algo para ser melhor para o mundo, sabe? Você precisa ter uma relação bacana e saudável consigo mesma para, depois, ter uma relação legal com o mundo. Eu sei que falar parece fácil e é mesmo, na prática as coisas ficam mais difíceis, mas isso é um exercício diário.

Não que você não possa mudar algo que não está fazendo você feliz, claro que pode, mas tem de ser algo que fará bem a você, que você deseja, não algo que esteja fazendo em prol da sociedade ou para ser “aceita”, sabe?

Li um post no blog da Ju Romano sobre isso e achei muito bacana, porque ela dá dicas para você começar a exercitar o body positive na sua vida. Para ler, clique aqui.

Ju Romano
A Ju nas suas redes sociais dá uma aula de body positive e amor-próprio. Sem contar que ela mostra dicas de moda e beleza ótimas!

Rica no Iatchy 😎 #JurroEmNatal #JurroViaja #bodypositive #amesuascurvas

Uma publicação compartilhada por Ju Romano (@ju_romano) em

Ashley Graham
A modelo é o famoso “mulherão da porra” (desculpa o palavrão, gente haha) e é um dos grandes nomes deste movimento. Em seus posts ela dá dicas para as garotas se amarem mais, aceitarem os seus corpos e mostra que não é preciso seguir um padrão para ser linda e influenciar garotas.

Gimme dat String Bikini

Uma publicação compartilhada por A S H L E Y G R A H A M (@theashleygraham) em

Thais Carla
Para quem não conhece, a Thais dançou um tempão no programa do Marcos Mion, e agora é uma das bailarinas do balé da Anitta #lacrepuro. Além de arrasar nos palcos dançando, fora dele ela mostra que é girl power e empodera as mulheres a se aceitarem e não focarem em padrões de beleza que não as representam.

ACEITA, EU SOU GOSTOSA!!! #bbw #effyourbodystandards #effyourbeautystandards #plussize

Uma publicação compartilhada por Thais Carla ♡ (@thaiiscarla) em

Sabina Karlsson
Ainda não conhecia a Sabrina, admito que conheci para escrever este post e adorei! A girl é sueca e, além de ter um corpo cheio de curvas – e lindo, diga-se de passagem -, ela também tem muitas sardas, os dentes separados, o que é conhecido com diastema, e muita atitude para mostrar para todos em seu Instagram que se gosta e é feliz assim, do jeitinho que é. Tanta atitude rendeu a ela o título de porta-voz de várias marcas famosas de make. Vale a pena conferir o Insta dessa linda!

🌟 As much as I love the weekends – Mondays are the best 🌟@violetabymango

Uma publicação compartilhada por Sabina Karlsson (@thesabinakarlsson) em

Daiana Garbin
Eu não sei se vocês a conhecem, mas a Daiana foi jornalista da Globo por muito tempo e chocou a todos a revelar que largou o seu trabalho para seguir com o EuVejo, um projeto muito bacana na internet – e fora dela – que ajuda a mulheres e garotas com transtornos alimentares e baixa autoestima. Ela fala disso com muita clareza e propriedade, já que passou por um período bem nebuloso por conta da sua relação com o corpo, dando dicas ótimas para colocar em prática no dia a dia. Sou muito fã e se fosse você corria para o canal dela para conferir.

#fazendoaspazescomocorpo #euvejo ❣️

Uma publicação compartilhada por Daiana Garbin (@garbindaiana) em

Bom, springers vou ficando por aqui, porque este post já está gigantesco. Mas eu realmente espero que ele tenha a ajudado ou inspirado de alguma forma. Imagino que vá ter gente que diga “Mas você está falando disso por quê? Você é isso ou aquilo”, mas é realmente disso que quero fugir, dos padrões. E também quero mostrar para vocês que todo mundo tem uma batalha que não é visível aos olhos, e quanto mais nos ajudarmos a seguir este movimento body positive, cada dia mais mulheres vão se sentir mais belas, representadas e empoderadas.

Ah! Aproveitando, já fiz um vídeo sobre autoestima lá no canal do ST, se você ainda não viu, clique aqui.

Beijos e até a próxima!