girlboss

Oi, springers. Tudo bem?

Este fim de semana, como todos estavam esperando, finalmente o Netflix lançou a série Girlboss, inspirada no livro de mesmo nome, que conta a história da empreendedora da moda Sophia Amoruso, criadora da loja on-line Nasty Gal.

Sophia passou um tempo da sua vida tentando encontrar um trabalho que fizesse sentido pra ela, até que um dia testando, a girl colocou uma jaqueta a venda no E-bay, que comprou por poucos dólares e, em algumas horas, viu o valor dela quadruplicar. Foi aí que a girl viu uma possibilidade de negócio e focou nele, até se tornar a empresária que é hoje. Sua marca se tornou uma das mais cool #ever, tanto que várias famosas não saem de lá. E a série mostra exatamente esta trajetória, com uma boa pitada de humor e até romance, e com convidados de peso, como a famosa drag queen RuPaul, que aparece toda desmontada e com um personagem superdivertido.

Gostei tanto da série que resolvi escrever aqui o que você vai encontrar nela para animá-la a dar o play no Netflix. Vem ver!

A série é bem mais animada do que o livro!
Eu gostei do livro, mas admito que teve um momento em que fiquei empacada, porque achei ele mais inspiracional do que sobre uma história real, sabe? Ele fica muito naquilo “o que é ser uma girlboss?” e acaba deixando algumas coisas de fora. Então, se você ainda não leu, aconselho a ficar só na série, até porque tem muita coisa na trama em vídeo que não acontece no livro.

A protagonista é um pouco irritante…
Ao começar assistir a série, você vai achar a Sophia meio chatona, porque ela tem uma personalidade peculiar, mas, aos poucos, você vai se encantando pelo jeito excêntrico e inspirador dela.

…Mas ela dá uma injeção de animo em que está assistindo!
Você vê a Sophia sair do buraco até conseguir fazer a marca dela acontecer. E nada dá certo pra ela, então, a girl tem de ser criativa e rebolar para fazer as coisas acontecerem. E isso é uma baita injeção de ânimo para quem está correndo atrás de um sonho e dá uma desanimada às vezes.

A trilha sonora é incrível!
Dá vontade de ouvir a playlist da série o dia todo, porque tem músicas de todas as décadas que combinam perfeitamente com os episódios e o visu inacrê da Sophia. A trilha conta até com Nasty Gal, da Betty Davis, que inspira Sophia a colocar o nome na sua loja (Quer ouvir? Clique aqui!).

Os looks são inspiradores
Principalmente, os da Sophia, que traz várias referências dos anos 80, que são supertendência hoje em dia. O cabelo dela é incrível e os truques de style que ela faz mais ainda.

E aí, se animou a assistir Girlboss? Se sim, me conta depois o que está achando. Vou adorar trocar figurinhas com vocês! Ainda estou no episódio oito, mas quero terminar logo, logo.