To The Bone

O Netflix divulgou o trailer de seu mais novo filme, To The Bone, estrelado pela fofa da Lily Collins, que chega a plataforma em 14 de julho, e promete ser outro tapa na cara da sociedade. Admito que ao ver o trailer fiquei bem tocada, porque o longa fala sobre anorexia, autoestima, etc., e é um assunto que mexe muito comigo. Sempre tive muitas encanações para aceitar meu corpo da maneira que é, graças a Deus nunca cheguei a desenvolver distúrbios alimentares, mas tenho amigas que, sim, e é tão punk, gente =/.

No filme, Lily é Ellen, uma garota obcecada pela magreza, daquelas que sabem as calorias de todos os alimentos que consome. Só que isso vai fugindo do controle, a família percebe e ela tenta vários tratamentos, porém, nenhum dá certo, até que a sua madrasta a manda para uma clínica de reabilitação, que conta com um método surpreendente, criado por um médico interpretado pelo Keanu Reeves. Dá só uma olhada no trailer!

Como vocês podem ver, Lily aparece muito abaixo do peso no filme e, para isso, ela contou com a ajuda de um nutricionista. Dizem que a girl chegou a perder cerca de 10 quilos! #OMG

Em entrevista ao Hollywood Reporter, a atriz revelou a importância que tem pra ela fazer parte de projeto e até que já sofreu com distúrbios alimentares quando mais nova. “Acho que o jeito com que [a história] foi escrita e contada é uma maneira que só pode ser contada por alguém que realmente tenha passado por isso, porque há um senso de humor estranho usado por nós… O que faz com que [a situação] não seja tão pesada, na falta de outra palavra”, revela Lily.

E que legal que o Netflix está a frente de um projeto como este e trará a visibilidade que merece, afinal, muita gente ainda acha que distúrbios alimentares são frescura, que é só a pessoa querer do nada, que vai conseguir parar, e não é. Precisamos nos informar sobre o assunto, entender como isso afeta a vida das pessoas, para podermos ajudar e sermos ajudados. Quanto mais informação compartilharmos, melhor! Em um mundo de tantas musas fitness e dietas malucas nada saudáveis, falar sobre os perigos que esses distúrbios causam é mais do que necessário.

Eu me sinto pressionada o tempo todo com frases, como “não coma isso, porque engorda”, “faça exercícios, porque precisa queimar as calorias que comeu ontem”, “como você engordou” ou “como emagreceu” e isso é MUITO chato e desgastante. Claro que temos de ser saudáveis e nos sentir bem, mas sem deixar de viver, sabe? Que este filme nos traga uma mensagem bacana e a gente consiga parar de pensar em quem quer ser, pra valorizar a pessoa incrível que somos!

Ah! Falando em autoestima e sentir a pressão sobre ter um corpo perfeito ou estar dentro de “padrões”, convidei algumas springers e debatemos isso lá no canal. Se você ainda não viu, corre lá!