Oi, springers. Tudo bem?

Como vocês sabem, eu ADORO conhecer artistas e músicas novas e, recentemente, eu tive uma ótima surpresa ao conhecer a Benziê. A dupla é formada por Vic Conegero e Du Pessoa, que além de terem a maior sintonia como namorados, também mandam superbem juntos na música. A ideia de tocar juntos veio de uma viagem para a Colômbia, em que eles decidiram trocar hospedagem por música, o que deu supercerto, tanto que eles não pararam mais. Hoje, eles já contam com um EP lançado com seis músicas inéditas e incríveis e, entre elas, está Casa Amarela, que já chegou até a entrar na playlist 50 músicas virais do Brasil no Spotify. #OMG

Se você curte músicas com uma pegada bem solar e praiana, com letras que ficam na cabeça e passam uma mensagem na vibe Ana Vilela, Anavitória e Kell Smith, com certeza, vai se apaixonar pelo casal.

Antes de se jogar e dar o play no EP deles, o ST bateu um papo com a Vic e o Du pra saber um pouco mais desta curta, porém, bem sucedida carreira. Se liga!

Vocês já tocavam de brincadeira juntos antes de virar uma profissão, certo? Tudo começou em uma viagem para a Colômbia, mas como foi exatamente?
Na verdade, antes de sermos uma dupla musical, nós somos um casal. A possibilidade de ter um projeto musical juntos veio um pouco depois, quando pensávamos em fazer uma viagem à Colômbia, e tivemos a ideia de trocar música por hospedagem. Assim, começamos a tocar juntos, compor algumas canções, e vimos que esse “casamento musical” estava dando certo. Lá na Colômbia muita gente curtiu nosso som, o que foi um grande incentivo e, desde então, tocamos em frente o outro lado da nossa união: a música. Voltamos para o Brasil com Casa Amarela, nossa música de estreia, já no gatilho pra ser lançada e, finalmente, dar início ao que hoje é o Benziê.

Imagino que seja a coisa que vocês mais respondam em entrevista, mas por que Benziê? Tem um significado especial?
Muita gente pergunta sobre isso mesmo [risos]. O nome Benziê vem de um apelido carinhoso que temos um com o outro. Eu sempre chamei o Du de ‘bem’, ‘meu bem’, ‘benzi’… E assim como chamamos ‘manhêee’, ‘paiêee’, um dia surgiu um ‘benziêee’, e assim ficou. Achamos um nome sonoro e que tinha tudo a ver com a gente, e com o som que a gente fazia. Inclusive, chegamos a fazer uma pesquisa com os amigos mais próximos, para que eles nos ajudassem a decidir o nome do projeto, e Benziê, venceu quase que por unanimidade. E nós, adoramos. Por que não usar um apelido carinhoso para o seu projeto musical?

Casa Amarela ficou entre as 50 músicas virais do Brasil no Spotify. Como foi pra vocês ver isso em tão pouco tempo? Aliás, a Casa Amarela existe ou ainda é um desejo do casal?
Nossa, foi um dos maiores presentes da vida. Ver, em tão pouco tempo, nosso trabalho sendo tão bem recebido, foi incrível. Até hoje, Casa Amarela ecoa de um modo muito positivo. As pessoas realmente se encantam muito por ela, talvez porque seja um desejo em comum de muita gente: ‘vou fugir de tudo com você’. Quem não quer largar tudo e ir embora para o paraíso com a pessoa amada, não é? Nossa ‘casa amarela de frente pro mar’ ainda está na wish list [haha], mas nós sempre visitamos a praia, é nosso compromisso: sempre recarregar nossas energias no azul do mar e nos lembrar de como a vida pode ser tão mais simples e linda do que ela já é.

Atualmente as pessoas estão se apaixonando por músicas mais sinceras, que falem sobre a vida, enfim, que tenham significado realmente, vide os artistas mais bombados do momento, Anavitória, Kell Smith, Tiago Iorc, etc.. Vocês acreditam que isso faz parte de uma mudança no comportamento do público?
Acreditamos que vem sim da mudança de comportamento, mas também da necessidade de consumir músicas mais verdadeiras e sensíveis. Num país onde o que mais se ouve são funks com letras grosseiras e de desrespeito contra a mulher, e contra o ser humano, é mais que necessário falarmos sobre o amor, sobre como não se deve ter vergonha de falar que você ama alguém, e de encher o mundo de palavras e gestos bonitos, para que a força do amor seja maior.

Quais são os próximos passos de vocês? O que podemos esperar para este ano?
Para este ano, desejamos tocar muito, viajar bastante, conhecer novas pessoas, fazer com que a galera conheça cada vez mais a nossa música. Queremos fazer shows, e nos envolver com gente que quer a mesma coisa que nós: novas conexões musicais. E, claro, nunca deixar de compor novas músicas, pensar em novas ideias e estar rodeados de coisas positivas e do bem.

Ai, gente. Fofos: sim ou com certeza? Admito que desde que ouvi Alucinante Demais, que é uma das minhas músicas favoritas da Benziê, eles não saíram das minhas playlist. E se você quer curtir o som deles e ficar por dentro de todas as novis sobre a dupla, clique aqui para se inscrever no canal deles.